Seguidores

7 de outubro de 2011

Uma VIDA...

O meu passado é tudo quanto não consegui ser. Nem as sensações de momentos idos me são saudosas: o que se sente exige o momento; passado este, há um virar de página e a história continua, mas não o texto. 
Fernando Pessoa

Uma VIDA...

Em pleno Outono
ouço a chuva forte
batendo na janela,
vou até junto dela
e escorre nos vidros
como se fossem lágrimas
nesta tarde cinzenta,
que envolve
meu corpo e minha alma!

Olho em frente
e vejo um vulto
em forma de Mulher,
que se aproxima
e reconheço-a!

Vem aflita
vomo nunca a vi assim,
não pede ajuda,
mas quer um perdão!

Sabe de tudo que me deu
e depois de mim tirou
tudo o que eu tinha de bom,
e pouco me restou!

Pensou ser merecedora,
mas nada é fácil nesta Vida
e tudo perdeu...

Caminhou sem sentido
e nesse caminho
colheu uma erva daninha,
que lhe violentou o corpo
e dilacerou a alma!

Não mais foi a mesma;
teve tudo
e tudo perdeu!

Agora está aqui
aflita, muito aflita,
pedindo a mão
que outrora negou
e eu me resignei então!

Hoje e porque sei amar
minha mão trémula
se estende para ela
não querendo ver
esse precipício da Vida,
que tão próximo está dela
em vez dum caminho
verde de esperança,
plano, cheio de Sol,
aquecendo seu coração
e iluminando sua alma!

Lição de Vida
para quem pensa saber amar
e esqueceu as minhas palavras:
Neste momento
sou tão feliz contigo,
alimento minha alma em ti;
preciso mais de teu carinho
que do teu corpo!

José Manuel Brazão



Partimos... unidos para sempre!

É chegado o tempo,
seguiremos nas asas do vento
na bagagem levaremos amor
amor que nos transborda a alma.

Fica em nós uma certeza:
tudo em vida nos valeu a pena!

Unidos por sonhos infindos,
resgatados em cada amanhecer
seguiremos por caminho já escolhido
traçados dentro de nosso ser...

Nas mãos letras e versos de luz
no coração, o amor sem limites.

Partiremos juntos, pois somos um
seguiremos além, propagando LUZ
jogaremos palavras ao vento
levaremos saudades no peito...

Sim, partiremos...

Anna Carvalho

[....]

Partimos com rumo certo,
convictos, decididos,
que nada nos fará parar,
aqui ou por perto!

Este amor sem limites,
que fez Luz em nós
e se reflecte em poesia de amor
com palavras ao vento
e ficará nos céus do infinito
voando entre estrelas cintilantes,
nesta Vida por instantes!

Nós, estaremos iluminados
por essa vontade, esse destino,
que a Vida nos deu!

José Manuel Brazão

6 de outubro de 2011

A tua busca...


Procuras na tua vida
esse caminho ideal
que se chama destino,
e te faz viver
insegura, carente,
e quase perdida
por ainda não o teres descoberto.

Vai, vai sempre
reflecte sobre o bem e o mal.
Pensa, pensa bem
em ti.
Ama-te
para amares a Vida
e quem te quer
incondicionalmente
seguindo teus passos,
sonhos, anseios,
quereres e sentires!

Um dia destes
sorriremos,
porque teus passos
já os sentes
e avanças decidida
conquistando
tudo o que sonhaste,
ansiaste e desejaste.

Esse amor
que andava perdido por aí...
... virá finalmente
Incorporar-se em ti!

José Manuel Brazão

Estou vivo...Como a vida me contempla!

És o Sol,
o Céu, a Lua,
a natureza
no seu esplendor!

Um amor
que envolve minha Vida,
com alegrias
e tristezas
momentos felizes
e sorrisos
de paixão e amor,
com um coração que me diz:

estou vivo…
para continuar a amar-te
e só partirei
quando Deus me chamar!

José Manuel Brazão


Porto solidão (Vida sonhada)

Olhando fixo o azul do céu,
Coração latente em dor,
Imensurável amor

Uma lágrima covarde e fria
denuncia minha saudade

Hoje sim, és Principe Azul
Mergulhado no céu infindo
A espera de tua metade

Vida cresce dentro de mim,
Parte tua aqui ficou
Ah, insuportável dor

Em meu porto solidão
lágrimas à deriva, olhar ao alto
teu nome ao vento,
eu, sem resposta...


Anna Carvalho




[....]


Sonhas,
sonhas perdidamente,
a vida que querias,
mas ainda não tens!

Olhas o passado
e recordas
as promessas da vida.

Olha em frente,
agarra a esperança,
com o coração,
com a convicção
de que o sonho
há-de ser realidade.

Um dia a Luz virá,
o teu sorriso lindo,
retornará;
e a vida sonhada,
será vida para amar …

José Manuel Brazão


Diante dos nossos olhares


No amor de teus olhos
colhi a semente do encanto
Plantei-a no fundo do meu ser

Eu, distante desses olhos
resido em teu pensamento
cativo tua pele
agrado tua boca

Na luz de teus olhos
a saudade me alucina
Na distância cruel, minha sina

No silêncio do teu amor,
Na pureza de tua alma
no valor de tuas palavras
o encontro de nossas almas .

Anna Carvalho

[....]

Não, não perderei
diante do teu olhar
os pensamentos
que despertam
os meus sentimentos
de dar-te o Sol e a Lua
provocando paixão
e irradiando amor
nesta alegria de viver
por ti e para ti!

José Manuel Brazão




Tuas palavras

Tuas palavras fazem raiz dentro de mim
Palavras de amor, que sou aprendiz,
Me diz enfim o caminho certo
Entrego o meu corpo por completo

Doçura que sussurras em meus ouvidos
Palavras do amor que embriaga meus sentidos
Gemidos, que são suspiros do desejo
Estampados em meus olhos no silêncio

Tuas palavras fazem amor em mim,
Palavras nuas que seduzem pensamentos
Amor perfeito, cultivado com respeito
Adubado com saudades, enraizado em meu peito.

Anna Carvalho

5 de outubro de 2011

Olhos que confessam!

O que meus lábios não dizem,
meus olhos confessam

Quando sussurras palavras de amor,
o desejo em meu corpo é evidente
e em ti escorre a libido latente

Das palavras que excitam o meu seio,
a boca transborda em gemido alucinado
em teu corpo, labirinto do pecado
as unhas marcam a pele com vontade

Ah, quanta vaidade de palavras!
a boca que deseja dizer tudo,
acaba por não dizer nada
já os olhos falam tanto,
que lhe faltam as palavras...

Anna Carvalho


[....]

Teus olhos
me fascinam,
me encantam,
eles confessam!

Teus olhos
falantes,
estonteantes,
sorriem
e criam em mim
a esperança
do nosso bom viver!

Teus olhos são mesmo
o espelho da tua alma!

Eles reflectem
bondade,
generosidade,
amor,
muito amor!
Com uns olhos assim,
que bom seres
o amor da minha Vida!

José Manuel Brazão

Amar-te-ei para sempre!

Um amor assim,
vivido
e alimentado por mim,

de quem ama com alma!

Um amor
no tempo em silêncio,
na memória do tempo,
com lágrimas
guardadas na alma
e outras
escondidas na sombra da Lua!

No resto do meu caminho,
até final desta vivência,
amar-te-ei para sempre!

José Manuel Brazão

Meu refúgio

No refúgio de teus braços,
onde ainda sou tão menina,

sem noção de tempo e espaço
Segredando-lhe fantasias

No mar de teus olhos,
que fascina, inebria

navegando sem me cansar
repartindo contigo a vida

Tua alma junto a minha,
meu coração batendo ao teu

minha cabeça recosta teu peito
Confessas segredos teus

Em nosso quarto imáginario
mobiliado de fantasias

Entre gemidos e abraços
Num só corpo uma só vida!


Anna Carvalho

Sou o teu amanhecer!

Acordas
e o Sol entra,
poisa no teu corpo,
e sentes
teu coração quente,
num amor ardente,
como sonharas
e Ele te trouxe!

Viste em mim,
que sou o teu amanhecer,
e tu e eu renasceremos
para a Vida,
rumando ao futuro,
esquecendo o passado,
vivendo o presente
e ansiando pelo futuro!

Sou o teu amanhecer
e viveremos
novas primaveras
de harmonia, paz
e amor iluminados!

José Manuel Brazão

Quando tudo realmente existe!

Quando tudo realmente existe,
parecemos sonhar,
mas existem
esses momentos felizes,
indescritíveis para nós,
mas apenas nossos olhos alcançam
e jamais esqueceremos,
que sentimentos tão nobres,
como o amor, o respeito,
a humildade e a gratidão
se afastem de nós
e assim continuaremos
com convicção
a estrada da vida
-essa realmente existe-
da nossa vida!

José Manuel Brazão

No caminho das emoções: Eu com Anna e Zac

No caminho das emoções: Eu com Anna e Zac: "Zac"


TERÇA-FEIRA, 14 DE JUNHO DE 2011


Recordando: Eu com Anna e Zac



Português com gosto brasileiro!


Sou um português
que não renega suas raízes!
Sinto o meu país
que me deu filhos
e netos,
me deu alegrias
e tristezas,
me ensinou a amar,
a viver,
a perder e a vencer!

Que me deu de Amigos,
amigos
que são família
fora da Família!

Mas
sou português
com um carinho especial,
Ppelo Brasil
e suas gentes!
O carinho e o amor
que atravessam o Atlântico
e vêm até mim,
calorosos,
generosos,
com amor sem fim!

Sou Português
com gosto brasileiro!

José Manuel Brazão

És a flor do meu poema!

Todos os dias te contemplo
em minhas mãos, te acaricio
como a flor do meu poema
uma flor mulher
que invade minha alma e instintos,
e vejo despida em poema!

Sinto o teu desejo
reflectido em meus versos,
pulsando esse coração
entre as tuas pétalas,
pétalas de amor,
que deixa o poeta em dor
por sentir o teu aroma
e não sentir o teu corpo...
apenas a essência...

José Manuel Brazão

Flor do poema

Queria ser apenas a flor,
para nas mãos daquele poeta
morrer de tanto amor.
De suas melodias ser a orquestra,
as notas, as letras, o ritmo
e o motivo a compor.

Para o poeta eu queria
ser de sua poesia a flor.
Renascida, convergida
à contemplar a fantasia
nos enredos de amor

Em sua boca seria o absinto,
entorpecendo lentamente os sentidos.
Do corpo seria sua alma e instintos,
à ministrar no silêncio da pele
por minha carne os desejos e vícios.

Desejaria ser do versar a musa,
nua de pele, vestida de letras
um poema em Mulher
a vida despida em poema.
Como o rio desaguando em mar aberto,
carregando na cor dos olhos dilemas.

Descreveria a pele vestida em mim
na poesia do poeta o desejo.
Do carmim de meus lábios
agregado ao doces dos beijos,
o arrepio sentido na pele
ao reagir a língua que a boca interpele
os inúmeros devaneios...

Queria ser princípio e fim.
A inspiração, as rimas, os versos,
os corretos e avessos confessos.
A sedução em contexto e reflexo,
daquele que poeta Hortênsias
sublimadas em delicados aspectos.

Queria ser do poema àquela flor,
para que no peito e nas mãos do poeta
pudesse viver descrita nos versos
que seu amor à inspiração confessou.

Anna Carvalho

Nua diante da Vida...

Cansei de pintar os olhos com cores alegres,
a lágrima não tem cor, nem cheiro...
somente o sabor agridoce da saudade,
do que não volta, o tempo que revolta

Cansei de abafar soluços p'ra não assustar ouvidos,
não são sonoros, nem pretendo fazê-los
é em mim a marca que ficou, e ressoa no infinito

Cansei de camuflar os sentimentos,
hoje quero tudo de intenso, a verdade nua aos olhos
serei eu a transparência em vida, atos reflexos de mim,
quero a vida em plenitude, sem máscaras ilusórias

Costuro no peito as dores do mundo
dispo-me das taras e dos medos,
dos vícios cotidianos, da omissão de ser
e sou, tudo que sou sem pressa de ser

Fico crua diante da vida, tela em branco para o artista,
tela pincelada nas cores do desejo, na verdade pura da pele
seco por fim as lágrimas e acalmo os soluços:
Vai coração, segue em frente e descansa em paz!

Anna Carvalho


 Anna
Conheço toda a tua Poesia!
Considero este o teu melhor e grande poema que criaste até agora!
 Extraordinária a tua vocação e sensibilidade poéticas.
Grande emoção que senti diante desta obra de arte poética
e que Deus me permita testemunhar outros grandes textos teus!
Te apoiarei sempre nesta caminhada: Vida e Poesia!
Beijo grande


Juro!

Terei que juras pelos céus
ou conseguirá ler meu olhar?
Está na pele do corpo,
marcado no fundo do peito,
além das palavras e erros...

Não me faça jurar o sentir,
pois sinto o que está em ti...
É teu amor cada parte de mim,
fecundado no ventre da alma
acolhido na vida com calma

Se além dos olhos há o segredo,
procure-o desvendar sem medo...
terá que entender além do silêncio,
sentir os gestos mesmo pequenos...
Como poderia provar um sentimento?

Mas se o olhar não convencer,
a pele não comprovar...
o corpo não denunciar;
Juro... 
E que a jura vinda da boca
faça sentir o que há na alma;
o meu grande amor...


Anna Carvalho

Teus, meus olhos

No amor de teus olhos
colhi a semente do encanto
Plantei-a no fundo do meu ser

Eu, distante desses olhos
resido em teu pensamento
cativo tua pele
agrado tua boca

Na luz de teus olhos
a saudade me alucina
Na distância cruel, minha sina

No silêncio do teu amor,
Na pureza de tua alma
no valor de tuas palavras
o encontro de nossas almas 

Anna Carvalho

Se puder eu volto...

Passeio meu corpo
por esse areal, com meus pés
beijando esse mar imenso,
recordando outros tempos
em que meu coração
atravessava esse mar infinito
para estar junto de ti!

O tempo nunca parou
e nesta travessia com amor,
nada me impedia
de voltar sempre!

Imensas saudades
desse tempo assim,
esperando pelo amanhã
e no adeus dizendo:
se puder eu volto...

José Manuel Brazão

Minha alma poética

Por tua causa a minha vida
nunca mais foi a mesma;
tudo se alterou
na rotina, no descanso,
mas em mim
- o Homem -
houve a conquista
de valores adormecidos
e hoje fortalecidos,
que fazem do poeta
um homem com outra visão,
Com horizontes sem limites
no espaço e no tempo,
numa entrega desmedida
àqueles que me seguem,
acarinham e valorizam,
tornando o meu sentir e acreditar
em verdadeira sintonia,
que recuando no tempo,
sonhava, pretendia,
mas não sabia
se conquistaria!
Hoje
por tua causa
estou reflectindo em palavras
e apenas por tua causa,
escrevendo
poesia da paz,
da harmonia e do amor...
... a minha poesia!

José Manuel Brazão

Sedenta

Dai-me de beber,
Tenho sede de ti...
Meu corpo queima,
minha boca te chama
vem, derrama!

Tens-me de joelhos
rendida, humilhada,
Tua, nua, sequiosa...
mata-me a sede,
bebo de ti, só de ti!

Flui em meu corpo
lava-me o rosto,
sedenta por tuas águas...
vem, desagua com calma,
sacia-me a boca e a alma!


Anna Carvalho

Sejamos gratos mesmo no pouco...

Quando estou contigo
teus olhos me ouvem
como portas da tua alma
os meus sentires
com raios de sol
de uma esperança ansiada
para melhores dias
nesta vida terrena!
E no teu sorriso bondoso,
nesses olhos que me ouvem
dizes-me:
sejamos gratos mesmo no pouco
para que o muito seja acrescentado!


José Manuel Brazão

Um amor, um destino!

Reconheço o teu amor
Que é força sublime,
É na distância
Nos pensamentos,
No calor do momento
Que nos perdemos no tempo...

É amor em vida,
Essa união que nos completa,
Chega em hora tão certa,
É vazio se não estás em mim

Um amor escrito,
Linda arte do destino
Um anjo guardião,
Que trouxe paz ao meu corpo
E alegria ao meu coração

Anna Carvalho

[....]

Neste momento
tanto que desejava
estar perto de ti!


Sinto
um vazio na alma
por te saber longe,
entristecida,
sofrida
e por precisares
do meu carinho
e do meu amor!


Sinto
neste momento
que seremos ajudados
por Ele
que nos acolhe
e abençoa pelo eterno
este puro amor!


Neste momento
sou tão feliz contigo,
alimento minha alma em ti;
preciso mais de teu carinho
que de teu corpo!

José Manuel Brazão

Só tu e eu!

Só tu
me provocas a ansiedade
de viver o amanhã!


Só tu
me encantas
na procura da felicidade
que não tinha!


Só tu
sentes a serenidade,
que procuravas!


Só tu e eu
temos
um amor louco,
amor sem hesitação,
amor provocante
amor sem limites,
e amor sem recuo!


Só tu e eu
temos
o amor das nossas vidas!

José Manuel Brazão

Oi amor, que saudade!

É um amor sem limites,
sem hesitação,
bebendo as tuas palavras,
a tua dedicação,
o teu amor em silêncio,
por vezes escondido,
outras vezes assumido!

Ninguém roubará
este amor que corre,
que se alimenta em nós!

Oi amor, que saudade
e prisioneiros deste amor,
com futuro desejado!

José Manuel Brazão

*Para ti, como um grande amor da minha Vida*

Amados amantes

Era noite de encanto, lua dos amantes alta no céu,
escuro breu salpicado de cintilantes estrelas nuas
havia silêncio no ar e nos olhos enamorados,
a pele ardia crua em brasa, vertia doce desejo
os lábios em formato de beijo desmanchavam-se
em salivas e estalos de bocas famintas

Era noite mágica para o encontro de corpos em libido,
a brisa das árvores misturavam-se ao perfume da fêmea.
Corpos nus enamorando-se na relva dos campos,
tendo o céu como espelho e teto, a lua por testemunha...
É o gemido de prazer a música que embala a noite,
dançantes gotas de orvalho nas costas do macho excitado

É cheia noite de estrelas, cravejados brilhantes no céu!
O silêncio nos olhos amantes é quebrado pelo ápice,
fez-se gemido abafado nos lábios do homem amado...
Corpos nus ao relento, suados, orvalhados e satisfeitos
calam-se os gemidos em longo beijo trêmulo e ofegante,
Vagam nos ares do campo, o instinto amante a suspirar...

Anna Carvalho

Beija-me

Beija-me como se o tempo curvasse para nos observar,

sinta o soprar de minha vida entre em teus lábios,
embriague-se do néctar que carrego na saliva,
no delicado roçar de nossas bocas em absoluto silêncio...

Entrego-me ao teu corpo; em nenhum momento reluto;
quero-te nu das roupas, das taras, das vaidades...
Vou-te sorver da alma, saciar de meu corpo as vontades

Toca-me a pele com as pontas de teus dedos, colha arrepios,
de meu intimo os  gemidos, de meus olhos os segredos...
Desejo-te dentro de meu corpo por inteiro, prazer verdadeiro!

Faço-te a alma cativa, pelas curvas de meu corpo rendido,
como se derradeiro momento de prazer em vida...
Beija-me apenas; deixe as pressas para o Tempo
que impaciente não compreende; as sutilezas da vida...

 Anna Carvalho 

Tardes de Outono

Nessa tarde a saudade do passado me invade,
faceira, espalha-se inteira dentro de mim.
Traz-me o cheiro daquelas tardes de Outono;
o gosto da terra úmida na ponta da língua,
o vento provocando todos os meus sentidos...

Caem agridoces lágrimas de meus olhos,
o coração se perde entre o tempo e o vento.
De olhos fechados, projeto minh’alma ao passado;
como se voasse os montes, por dentre os vales
e pousasse como pássaro no abrigo do peito

Ouço o silêncio da saudade, os passos do tempo,
o sussurrar da realidade querendo-me de volta.
Assim perco horas viajando dentro do meu infinito,
sentindo na pele o toque sedutor da nostalgia,
Voando ao passado; revivendo as tardes de Outono.


Anna Carvalho

O verdadeiro e eterno Amor

Queria expressar em versos a força do verdadeiro amor,
Teria que haver palavra que coubesse vida, tempo e intensidade...
Gostaria de ter nas mãos o dom de fazer sentir a quem lê de mim,
permitir provar da grandeza do que me envolve, acalma e completa.

Quanta magia há no verdadeiro amor de almas,
é refúgio e caminho, calmaria e imensidão.
Que resiste ao tempo, à distância, ao silêncio...
Amor sem idade, pois as almas não envelhecem
nem mesmo adormecem, apenas aquietam-se no sentir

Respiro, inspiro e transpiro esse puro amor...
São duas vidas que se cruzam predestinadas ao eterno
onde cada segundo é hora para aproveitar desse sentir,
que há em vida o intenso toque de corpos sem haver

Por arte do destino; SOMOS e não mais sou,
o amor vive em mim, é parte do que me completa,
cura-me as feridas passadas, serena minh'alma em profundo.
Encontrei nas estradas da vida um caminho seguro!

Desde então adormeço e amanheço envolta em sonhos,
tenho nos olhos o silêncio acolhedor da paz sublime
na boca o gosto de nossa vida em constante mistura,
na pele trago invisíveis marcas das emoções mais puras

Já nem me quero fazer entender, apenas o sentir basta!
As entrelinhas do amor vão além do entendimento,
os porquês da vida além da razão - se houver alguma -
o sentir além do existir, além do tocar, além do viver

Pudera caber só numa vida todo esse amor sem limites,
mas creio no eterno e assim, como a vida, o amor será
levado em nós, e mesmo que haja um mar de desencontros,
em algum lugar, em alguma vida, renasceremos...um para o outro!
Pois havendo o destino em união de almas, o amor será ETERNO...

Assim Seja!

Anna Carvalho

O teu silêncio

Passa o tempo
e o teu silêncio
abraçado à dor,
por um amor
sonhado, desejado
e vivido na sombra
das nossas almas!

Amor
que a Lua sorri
em noites de luar!

Luar
que aumenta a paixão
o desejo, a libertação
de um amor que existe
nas nossas mentes,
que será o nosso destino!

José Manuel Brazão